Image Map

29 agosto 2013

A Pedra do Ingá

Olá pessoal! Aqui quem escreve é Leonardo Chaves, o mais novo colaborador do Um Pouco de Mundo. Sou um dos colunistas de fotografia e a partir de agora, vou mostrar e discutir lugares. Sempre com seus contextos sociais, históricos e culturais, tentando provocar em você leitor, tanto a curiosidade de conhecer novos horizontes, como despertar a consciência para a valorização daquilo que nem sempre aparece por aí, mas que terá espaço aqui na nossa seção.


No primeiro contato que tivemos, a nossa editora chefe, Ina, disse que um fotógrafo desse blog tem de buscar o belo nos lugares mais improváveis, então, num estalo, me veio a ideia de mostrar esse lugar no interior do estado da Paraíba: O Sítio Arqueológico da Pedra do Ingá.




A Pedra do Ingá fica nas proximidades do núcleo urbano da cidade de Ingá, a cerca de 87 Km da capital João Pessoa e contém inscrições sulcadas na rocha que formam um painel belo e misterioso.

O mistério nisso tudo é que ninguém, até hoje, foi capaz de decifrar os significados dos sinais da pedra. Muita gente tem suas teorias.

  

Os arqueólogos dizem que o conjunto foi produzido por comunidades pré-históricas há cerca de 5000 anos. Outros dizem que foram povos perdidos de civilizações fenícias e gregas... há também quem credite as inscrições nas rochas à tecnologia extra-terrestre... Enfim, se foi Chico ou foi Francisco quem fez os entalhes na Pedra do Ingá, não é objeto desse post.







O que se quer agora, é chamar atenção para a necessidade da preservação e cuidados com o conjunto do Ingá. Ele é tombado pelo Iphan como patrimônio da humanidade (portanto isso diz respeito a mim, a você, a todo mundo), mas sofre desgaste muito agressivo devido a ação, não do tempo ou de outro agente da natureza, mas do homem.

Pra se ter uma ideia, até 1953, funcionou no local uma pedreira, que chegou a destruir cerca de 75% das inscrições e por pouco não avança sobre o conjunto principal da Pedra do Ingá. O local também já teve a presença de vândalos que praticavam tiro ao alvo, ou, inebriados por lendas que afirmam existirem tesouros no interior das rochas, as golpeavam com vários instrumentos.




A situação melhorou um pouco com a chegada de pesquisadores da Sociedade Paraibana de Arqueologia, mas ainda sofre com a falta de infra-estrutura e cuidados.




Ajude a preservar essa e outras maravilhas. Divulgando, espalhando informações e alertando sobre a conscientização que se deve ter em relação aos monumentos. Pode ser que, aí na sua cidade, tenha algum registro histórico importante, ou um lugar de destaque e você pode ajudar e intervir para preservá-lo.

fotos do autor

Saiba mais na fanpage da Pedra do Ingá e na seção da

11 comentários:

  1. Excelente post!

    O que seria esses sinais? A curiosidade fica no ar. Não arrisco nenhum palpite, mas importante que o significado é a preservação desses sítios que fala muito sobre as pessoas que ali viveram.
    Adorei saber sobre a pedra do Ingá ainda não tinha conhecimento sobre ela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Simone. Não há como, pelo menos com as tecnologias que existem, se tirar alguma conclusão. Pra vc ter uma ideia, a datação através do método do Carbono 14 (eu não conheço em detalhes esse tipo de coisa, mas é um método mais ou menos como numa radiografia, pra se detectar a idade de um artefato muito antigo)não é possível aí, pois o lajeado fica num leito de rio, que é seco durante quase todo ano, mas qdo enche, "lava" as pedras, retirando quaisquer vestígios q poderiam acusar a presença humana no local. Então, como vc colocou, o negócio mesmo é preservar, pode ser que daqui há 10 anos, exista algum método ou sejam encontradas pistas que nos levem aos autores das figuras, mas se isso não for preservado, como é que se vai chega a alguma conclusão, não é? Se um dia vier por esses lados, vale a pena uma visita, não é tão longe e há estradas asfaltadas. É uma coisa pra não se esquecer nunca mais!

      Excluir
  2. Que legal, muito interessante. Gostaria de conhecer um dia. É triste ver que o homem faz às vezes. :(

    Afiliada do blog, http://o-doce-mundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A mensagem foi mais ou menos essa mesmo, Laura. Esse é um lugar incrível, eu já fui 2 vezes e estou indo agora no fim de semana do 7 de setembro. Mas em toda cidade as pessoas devem cuidar de seus espaços, mesmo que não haja monumentos ou achados históricos importantes como esse aí. As pessoas devem colaborar para manter limpa, arrumada a cidade. Quando chove muito, por exemplo,a maioria dos alagamentos poderia ser evitada simplesmente se as pessoas não jogassem lixo nas ruas. Essa é a mensagem nesse post. Eu usei um lugar diferente, único, mas todos os lugares merecem tratamento especial, pois nossas cidades são onde a gente vive.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, um dia ainda quero conhecer... Bem interessante a pedra! E que pena que fazem isso com a cidade!
    Um beijo grande!
    http://www.momentosassim.com/

    ResponderExcluir
  5. Olha só, que linda, não conhecia :)
    Quero visitar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente um lugar fantástico Camila, se um dia puder, visite mesmo que é impressionante.

      Excluir
  6. Então, Ellen, se viajar pelas bandas do Nordeste, pode ir lá que é seguro, tem estradas e o pessoal é muito gente boa. Quanto à cidade, é a realidade, infelizmente. Há muito pouco interesse das autoridades em revigorar esse local e torná-lo um centro mais legal de visitação turística. As pessoas da Sociedade de Arqueologia são valentes, mas às vezes, aliás, muitas vezes, não se pode resolver tudo. Mas se pode conscientizar, a divulgação é um caminho pra isso. A importância que muitos lugares têm e a necessidade da gente cuidar deles.

    ResponderExcluir
  7. Olha que legal, eu nem sabia que algo assim existia, adorei que você compartilhou isso!

    Beijos
    Blog | Divulgue seu sorteio | Divulgue seu post no meu blog | Concurso de foto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Laysa. Não só existe como está aberto lá para visitação. Não sei o lugar onde vc está, mas as pessoas quando lembram do Nordeste ou falam de praias ou da seca. As duas coisas existem, as praias são muito legais e a seca é uma triste realidade. Mas há muitas outras coisas como essa daí. Uma maravilha do tipo das que tem nos livros de história.
      É um toque pra que as pessoas procurem conhecer mais e valorizar aquilo que temos de belo em nossa terra. É legal ir pro exterior? É. Eu quero ir tb. Mas tem lugares diferentes e originais como esse que precisa ser conhecido e valorizado.

      Excluir
  8. Que incrível a curiosidade e a vontade de poder conhecer a pedra pessoalmente, pode toca-lá e muita. Hahah

    ResponderExcluir

- Comente sobre a publicação.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.
- É permitido deixar o link de seus blogs ou sites.
- Visitas a outros blogs serão feitas, quando possível, não insista.

Obrigada,volte sempre!

imagem-logo